sábado, 4 de abril de 2009

um dia comum

4:05 o despertador toca, em cima da escrivaninha. eu inconscientemente levanto, desligo o aparelho e o trago para perto da cama.
4:20 ele toca de novo. eu não me dou conta e desligo novamente, dessa vez com menos esforço.
4:35 ele toca pela terceira vez.
4:50 eu me dou conta de que já é hora de levantar.
5:15 de banho tomado, viro o quarto de pernas para o ar à procura de uma roupa para vestir.
5:25 eu entro no elevador para descer. lá embaixo cumprimento o porteiro Renato que me diz "boa noite" enquanto eu digo "bom dia".
5:29 após andar 3 quadras, chego na esquina do canal 3 com a Governador e conheço o simpático rapaz que é meu companheiro de fretado. ele pergunta meu nome e se interessa sobre meu trabalho na capital.
5:30 subimos no ônibus. eu na segunda fileira, ele em algum lugar lá no fundo.
6:15 entra a última passageira, já em cubatão. o ônibus pega a estrada e eu posso finalmente dormir.
7:15 sou acordada pelas pessoas que começam a descer. ainda sem forças para abrir os olhos, preocupo-me em saber que horas são. abro uma fresta da cortina, sem conseguir identificar onde estou. vasculho a bolsa à procura do celular e sossego ao saber que ainda posso dormir uns 20 minutos.
7:20 acordo novamente, achando que já se passaram 20 minutos.
7:25 resolvo colocar o celular para despertar às 7:35 no modo vibratório, dentro do bolso.
7:40 o rapaz simpático passa por mim e desce do ônibus. descubro que ele não só mora do lado da minha casa como também trabalha na mesma avenida que eu.
7:42 o ônibus anda mais 4 quadras e me deixa na esquina da Faria Lima com a Rebouças.
7:43 atravesso o corredor de ônibus urbano e pego o cartão magnético para passar na catraca. ao entrar no edifício, cumprimento o segurança que é a cara do Kléber Pereira.
7:44 entro no elevador e olho para a pequena tv num canto da parede, que mostra notícias em frases de 5 segundos. torço para aparecer uma notícia sobre o Santos antes de chegar no 3° andar.
7:45 chego ao CRN-3 e cumprimento meus colegas, indo direto para a copa pegar um enorme copo de café preto. o Raphael do Cadastro está sentado no sofá da recepção lendo um livro sobre Psicologia e o Renato da Fiscalização está de barba feita. parece outra pessoa.
7:47 chega o louco do nutricionista fiscal Edson. grita "MANUUU MALUUUCA" e me abraça espalhafatosamente, falando sem parar, dizendo que eu não posso tomar aquilo tudo de café e quase me fazendo derrubá-lo.
7:50 chega o Thiago, colega da Fiscalização, vestindo roupa idêntica ao do meu xará Manoel, do Financeiro. este último, estudante de Matemática, faz as contas de quantas camisas cor creme cada um tem e comenta que "tecnicamente, essa coincidência deverá acontecer pelo menos uma vez por semana".
7:55 toca o celular do Renato. hora de passar o cartão de ponto.
7:59
mal chegamos no setor, o telefone da Fisc começa a tocar.
8:20 coloco uma pilha de processos com Termos de Visita vencidos e outra com Autos de Infração prontos na mesa da Dra. Lúcia.
8:25 a pilha dos TVs vencidos está de volta. começo a lançar os Termos de Notificação na planilha.
8:55 volta a pilha dos AIs já assinados para envelopar. a mesa está soterrada. não sei se continuo fazendo os TNs ou se termino logo os AIs.
9:12 os auxiliares do setor se mobilizam em busca de um processo perdido. o Lúcio me pergunta se está comigo. eu dou um ctrl+L na planilha para ver se fiz algum TN ou AI recentemente e respondo que não. ele insiste em procurar nos meus processos mesmo assim e o Renato diz que ele é muito "Rigorrosa".
9:47 alguém encontra o processo na caixa da Dra. Selma Britto.
9:53 o encarregado Alexandre, depois de um pequeno sermão sobre a importância dos encaminhamentos no sistema, diz que "Significa", enquanto come uma bala de goma.
10:12 minha colega técnica Elce lembra de alguma palavra ou frase da ex-estagiária Michely, como "ouxe", "esses bichinho" ou "beregodego". depois pergunta ao Alexandre "o que isso significa?"
11:44 o Renato pergunta "e aí, onde a gente vai almoçar hoje?". eu respondo que só almoço às 13h. ele reclama que já está ficando com fome.
11:59 toca o telefone da Elce. é a Carol da recepção chamando-a para almoçar. ela diz que já está indo, mas ainda demora vários minutos para sair.
12:30 o Renato pega sua marmita e vai pra copa desafiar as leis supremas do CRN-3.
13:10 a Elce volta. e eu fico com preguiça de sair pra almoçar.
13:15 vou pra copa beliscar um café com bolachas. encontro a Elke por lá e a chamo de Elce por engano.
13:20 sento numa das mesinhas da recepção e divido uma coca de 600ml com o Renato. as pessoas que passam perguntam se a gente está no bar.
13:30 o Renato volta pra Fisc e eu, sem ter o que fazer, volto também, sem deixar de anunciar que ainda estou em horário de almoço.
13:45 o Alexandre anuncia que está saindo para almoçar e se despede com um "Beijosmeliga".
14:15 volto à copa para passar novamente o cartão de ponto, como se estivesse voltando do almoço, e retorno ao trabalho.
15:00 o Alexandre, já de volta do almoço, desliga uma ligação de 15 minutos e fala de novo que "Significa". E o Renato fala algo com a palavra "Rigorrosa".
17:02 o relógio do Windows marca 17:08. estou entretida com meus relatórios quando a Elce fala: vamos, Manu? eu respondo "vamos" e começo a distribuir post-its pela mesa, para não esquecer de continuar o serviço onde parei no dia seguinte.
17:25 subo no mesmo ônibus que me trouxe à Selva de Pedra, desta vez rumo ao litoral.
17:35 consigo finalmente me ajeitar na poltrona com as 2 almofadas que trouxe de casa.
17:40 estou quase dormindo quando um dos coordenadores resolve ligar a TV. o filme, além de horrível, é dublado e, por isso, o som tem que ser alto, senão ninguém ouve. enfiando o travesseiro na cara, revolto-me ao lembrar que no dia anterior o filme era ótimo, legendado, eu estava sem sono... e o som estava quase mudo.
17:55 sou acordada por uma ridícula cena de "ação" barulhenta, com dinossauros de videogame rugindo autistamente para o ar enquanto pessoas correm e gritam. em português.
18:40 o filme acaba e o DVD fica repetindo a musiquinha da tela inicial em loop eterno. enfio o travesseiro nos ouvidos com mais força.
19:10 o ônibus sai de um túnel. as luzes se acendem e as pessoas começam a se enfileirar para descer. o sorridente porém pessimista senhor da poltrona 10 conversa sobre as chances do Santos no Paulistão com outros passageiros, enquanto espera o ônibus parar.
19:29 desço na esquina da Conselheiro com a Glicério.
19:42 chego no Positivus, faltando 18 minutos para acabar a primeira aula do Técnico em Meio Ambiente. a Maíra mal me vê chegar e me manda um bilhetinho com alguma fofoca.
20:05 o professor de Fundamentos e Processos Industriais continua lá. a aula é dupla.
20:45 o professor demora 40 minutos para ditar UM mísero exercício de matemática, enquanto faz comentários irreverentes sobre times de futebol. quando chega na letra "C", a Maíra solta orgulhosamente: "C de Corinthians Futebol Clube". eu me mato de rir e digo a ela que ela é uma santista enrustida e não sabe.
21:00 agradeço o sinal que nos libera para o intervalo, após ficar 1 hora escutando uma explicação que provava que "9,999999999 é quase a mesma coisa que 10".
21:00 como dois salgados de R$1,60 na cantina do tiozinho português. um deles é sem graça e o outro é delicioso. lambo os dedos de molho de pimenta.
21:10 não resisto e pego também uma coca e dois chocolates. estou ficando viciada em doces de novo? culpa daquela suculenta viagem a Minas Gerais.
21:11 volto para a sala onde o professor Fernando organiza um retroprojetor para mostrar fotos repugnantes de doenças provocadas por Protozoários. Comento com a Maíra que ele me lembra o professor Alexandre de Física, do segundo colegial do Objetivo, enquanto a aula dele nos lembra as aulas do Fogaça, de Microbiologia, do terceiro colegial.
22:45 o Fernando nos libera 25 minutos mais cedo, após uma aula dinâmica e cheia de conteúdo. volto para casa inspirada a conciliar as profissões de Bióloga e profissional de Letras/Tradução, assim como ele conseguiu fazer.
22:55 chego ao meu edifício, tentando não olhar para a destruição que fizeram no saudoso Praia Sport Bar. impossível não lembrar de todos os shows de rock que assisti ali e dos amigos que fiz.
23:45 depois de organizar mal e mal a roupa pra usar no dia seguinte, caço um gato para dormir comigo e deito na cama ao contrário, de forma a olhar a praia pela janela.
0:00 ainda não consegui dormir. penso em pegar um livro pra ler, mas mudo de idéia ao lembrar que depois vou ter que levantar pra apagar a luz.
0:15 mudo de posição e me pergunto se o cantor da churrascaria da esquina nunca vai mudar de repertório.
0:20 adormeço com o ronrono aconchegante da Praliné.
...
4:05 estou sonhando com a música "Cotidiano", do Chico Buarque, quando o despertador toca de novo. quando eu tiver um smartphone vou colocar essa música pra despertar.




pronto, agora vocês já sabem o que eu tenho feito da vida. :)

4 comentários:

Luzinha disse...

Ufaaa q dia hein...

lilous disse...

Você é um mutante. Como assim só dorme 4 horas por noite? NÃO PODE! FAZ MAL. Sua doida.
(Eu morreria no terceio dia.)

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

menina,

parei de ler na hora do lanche da faculdade.

cansei.

de fato

"todo dia ela faz..."

beijos e quando for almoçar me liga.

kkkkkkkkkkkkk

biscoito20 disse...

Tinha tempos que eu dormia só 3 horas por noite. Mas o que isso te importa, né não?!